3 de maio de 2018

Como transformar a Gestão de Custos nas empresas em diferencial competitivo

Uma empresa competitiva é aquela que sempre consegue agregar o máximo de valor às suas entregas aos clientes. E uma ótima forma de manter a dianteira em relação aos concorrentes é desenvolvendo uma gestão estratégica de custos. Isso é um ponto fundamental para o sucesso do negócio.

A gestão estratégica de custos, que se relaciona aos gastos para a realização dos processos produtivos da empresa, possibilita compreender os cenários em que ela está inserida para auxiliar no processo da tomada de decisão. Isto é essencial para identificar novas estratégias, resultando em melhorias contínuas na gestão e competitividade da organização.

Você verá neste artigo que a gestão de custos na empresa reflete diretamente na formação do preço de venda ou nas margens da empresa. Com isso, se permite entender perfeitamente o valor agregado das soluções oferecidas. Com essa percepção, você poderá tornar o ciclo de vendas mais ágil e eficiente e, do ponto de vista financeiro, seus produtos e serviços se tornarão mais competitivos e rentáveis. Confira.

Você sabe qual é a definição de “Gestão de Custos”?

Custos se referem, sobretudo, a gastos envolvidos no processo de aquisição e produção dos bens ofertados por uma organização. Gerir custos esteve relacionado, por longo tempo, apenas na redução dos custos de produção. O objetivo sempre foi ganhar e atrair clientes por meio do preço final mais baixo.

Porém, hoje em dia, focar somente no preço não é mais o único aspecto relevante para as empresas se manterem na liderança. Mais à frente, você verá como diferentes setores são impactados por uma estratégica Gestão de Custos.  

A Gestão Estratégica de Custos é um modo de potencializar a criação de valor do negócio. Com ela, é possível analisar a produção da empresa como um todo, identificando lacunas e propondo melhorias para que os processos sejam mais eficientes, elevando-se, assim, a lucratividade do empreendimento.  

Vale ressaltar que a Gestão Estratégica de Custos deve continuar compreendendo as necessidades e anseios do consumidor. Assim, as suas estratégias de gestão proporcionam melhorias internas do empreendimento por meio da otimização dos processos e redução de desperdícios, impactando no custo e nas margens, mas sempre ofertando o produto requisitado pelo mercado. 

5 passos para implementar a Gestão Estratégica de Custos 

Veja abaixo 5 passos iniciais que você precisa seguir para implementar com sucesso a gestão estratégica de custos na sua empresa: 

  1. Reunir os gestores e apresentar a gestão empresarial de custos, quais são seus objetivos e como ela ajudará a empresa a crescer mais. A partir disso, um plano de ação será montado com as formas escolhidas para realizar o controle de custo, quem são os responsáveis por cada item e qual será a periodicidade do controle; 
  2. Colocar no papel ou, melhor, no sistema de gestão empresarial, todos os números e informações referentes aos custos. É preciso que todos os custos sejam identificados e informados, sem exceções e arredondamentos, para que os cálculos sejam se aproximem ao máximo da realidade;  
  3. Realizar a análise dos dados: saiba quanto foi gasto em cada unidade de negócio e etapa do processo produtivo para analisar se o faturamento da empresa está alinhado com as finanças da produção; 
  4. Implementar planos de ação para os problemas identificados. É importante que muitas das ações propostas sejam validades com as equipes. Dessa forma,  elas serão viáveis na prática e os seus responsáveis estarão motivados pelas mudanças;
  5. Apresentar o planejamento para cada equipe. A partir disso, explicar como as atividades deverão ser feitas para que cada um tenha bem claro as funções a serem exercidas. 

O resultado:  

A partir da realização dos ajustes que visam a redução efetiva de custos e o alcance dos resultados desejados, torna-se muito importante criar uma rotina para sustentação da performance obtida pela gestão estratégica de custos. Então, trate as irregularidades do dia a dia, estabeleça novos padrões (aperfeiçoando os já existentes) e acompanhe as metas de melhorias com finalidade de alcançar a padronização dos processos. Para aumentar a eficiência dessa rotina de gerenciamento, conte com ferramentas digitais que facilitam a análise financeira e a tomada de decisões pelos gestores.

Importantes aspectos na Gestão de Custos:  

Podemos resumir a análise da Gestão de Custos em três principais frentes, veja:

A) Trabalhar Preço: trata-se de avaliar regularmente materiais ou fornecedores similares, identificar se na empresa mais de uma área faz compras de mesmos materiais ou similares para centralizar a negociação de preços. A implementação de um Centro de Serviços Compartilhados (CSC) pode ser uma ótima solução ao centralizar a realização de atividades semelhantes, como de compras; 
B) Trabalhar Consumo: a análise do consumo no processo produtivo muitas vezes pode evitar o desperdício, ou mesmo chegando à uma melhor relação custo benefício, por exemplo, um insumo um pouco mais caro pode dar um rendimento melhor e, consequentemente, ao final da produção, um custo menor; 
C) Trabalhar Processo: muitas vezes o desperdício está no processo, ou seja, no tempo de processamento, tempo de preparação, no estoque. Sendo assim, uma análise de custos nos diferentes processos da empresa é essencial.  
 

A Gestão de Custos como  diferencial competitivo em distintos setores

A Gestão de Custos é muito importante para empresas que estão em segmentos altamente competitivos, em que qualquer desperdício pode ser fatal para a empresa. O principal diferencial das empresas que trabalham com commodities é exatamente a Gestão Estratégica de Custos. Para elas, o preço é dado pelo mercado e, visando o aumento da lucratividade, elas somente têm o custo para se trabalhar.

Já as empresas não comoditizadas, à exemplo a Apple, o preço é estabelecido sobretudo por ela mesma e o marketing desempenha enorme função em influenciar o consumo dos seus produtos.  Neste caso, no primeiro momento, o seu foco é a qualidade, o design e o fortalecimento da marca, sendo o custo para definição de preço e demanda menos importante. Somente a partir da definição do design e do preço, a organização realmente vai trabalhar o custo para conseguir aumentar as suas margens.  

O cofundador da Mereo, Ivan Cruz, afirma que a 3G Capital é também um bom exemplo:  

A 3G investe muito em empresas comoditizadas tais como cervejas, hambúrgueres, entre outras, nas quais ser eficiente em custo é sim um diferencial competitivo. E essa é uma das principais estratégias de gestão do grupo ao adquirir uma empresa com esse perfil competitivo, mas que naquele momento se encontra mal gerenciada. Rapidamente eles conseguem eliminar desperdícios e gerar mais valor ao acionista sem impactar nos preços ao consumidor. 

O controle orçamentário

O controle orçamentário possibilita o corte de custos ao identificar quais são os processos produtivos da empresa e os pontos possíveis para otimização de tempo, materiais, mão de obra, entre outros insumos produtivos. Isso fortalece o controle com foco em redução de custos: daí a importância das metas e dos planos de que considerem a linha de frente como fundamental para o sucesso da eficiência de custo.  

A Gestão Estratégica de Custos é a forma mais completa de acompanhar o que está acontecendo com os recursos financeiros do negócio. Você pode contar com a consultoria Mereo para ter mais assertividade no processo de adoção da Gestão Estratégica de Custos, reduzindo riscos e o prazo para promover as mudanças precisas. 

Gostou desse artigo? Compartilhe.