8 de agosto de 2018

Quando implantar programas de Remuneração Variável?

“Metas claras e bem estabelecidas” Esse é o pré-requisito primordial apontado pelo diretor da Mereo, Marconi Rocha, para empresas que estão em fase de avaliação da implantação de um programa de remuneração variável.

“Já vi casos de PLR (Participação nos Lucros e Resultados) que estabelecem um pagamento fixo, independentemente da situação financeira da empresa. Isso é uma contradição até mesmo com o significado da sigla”, ressalta Rocha.  

E quanto à sua empresa, está de fato pronta para dar esse importante passo?

Neste post, você vai entender um pouco mais sobre essa tendência, especialmente fortalecida pela cultura de meritocracia no cerne da empresa. Também ficará por dentro de algumas das principais vantagens que um programa de remuneração variável pode trazer para a sua gestão, bem como os requisitos para implantação. Confira.

A importância das metas em programas de Remuneração variável

Sem metas bem estabelecidas fica praticamente impossível estabelecer um ponto de partida e de chegada para medir a performance dos colaboradores, seja enquanto time ou mesmo individualmente.

Para Marconi Rocha, um programa de remuneração variável bem estruturado deve ser composto de metas individuais e metas da companhia, sendo que “as últimas deveriam impactar de modo mais relevante os cargos mais executivos”, afirma Rocha.  

Vale ainda destacar que o plano de remuneração variável tem como principal objetivo engajar os colaboradores, atrelando salário ao desempenho. Portanto, é essencial determinar, antes de tudo, quais são esses números, porcentagens ou índices.

Essas metas e indicadores funcionam para balizar o programa. São, dessa forma, um gatilho para ativar o pagamento de remuneração variável para colaboradores de alta performance. Problemas nessas metas levam à cálculos errados e incentivos distorcidos.

A cultura de meritocracia para validar um modelo de bonificação

Abraçar o conceito de meritocracia é outro requisito para implantação de incentivos. Na prática, um programa de remuneração variável é a execução da metodologia de meritocracia, na qual ganha mais quem contribui proativamente para os números da empresa.

A meritocracia, em si, não e um conceito complexo. Baseia-se na capacidade de uma pessoa de entregar resultados, bem como em suas ações e motivações para isso. Para a meritocracia funcionar, espera-se que a empresa forneça ferramentas e motivações para seus funcionários.

Em posse dessas ferramentas, eles desenvolvem ações para alcançar ou não alguma meta. Devem ser premiadas as pessoas que desempenharam sua função com excelência, cumprindo os desafios que lhes foram sugeridos.

4 vantagens da implantação de um programa de Remuneração Variável  

Além de toda impessoalidade trazida ao processo de avaliação – eliminando-se quaisquer indícios de favoritismo ou subjetividade nos momentos de feedback ou promoção – o programa de remuneração variável contribui para o crescimento da empresa.  

Veja como: 

Colaboradores muito mais motivados

Uma das principais razões de desligamento de funcionários das empresas é a insatisfação pessoal e profissional.

Observamos no ambiente corporativo um grande contingente de profissionais que não se sentem valorizados e, consequentemente, tendem a se comparar aos colegas de acordo com a faixa salarial, o que impacta negativamente a produtividade da companhia.  

Nesse contexto peculiar, o conceito de meritocracia, impulsionado pela implantação de um bom programa de remuneração variável, pode funcionar como um motivador 

Maior engajamento 

A partir do momento em que o gestor atrela ganhos reais a metas, cada integrante da equipe conseguirá enxergar um objetivo concreto para se superar na busca por objetivos comuns a ele e à empresa, o que gerará um engajamento maior e a sensação de que o esforço individual faz grande diferença nos rumos tomados pela direção.    

Cultura organizacional mais fortalecida

Uma organização que consolida o conceito de meritocracia dentro da gestão por meio do programa de remuneração variável é uma organização que, com o passar do tempo, ficará imune a subjetividades e questionamentos por parte dos critérios de promoção, contratação e mesmo demissão, o que impactará diretamente na redução do índice de turn over que tanto alija o crescimento.  

Redução de custos fixos

O custo fixo geralmente é o calcanhar de Aquiles de uma empresa, principalmente as que acabam de entrar no mercado. Isso porque, independentemente da quantidade produzida e/ou vendida, os custos fixos são mantidos.

Quando se alinha produção à gratificação, corre-se menos risco de se manter colaboradores de baixo rendimento em cargos chave, fazendo com que aqueles que apresentam melhor performance possam influenciar positivamente na rentabilidade da empresa.  

Salário fixo x ascensão na carreira  

Se antigamente era o valor do salário fixo o principal atrativo que os funcionários enxergavam para apostar no processo de seleção de qualquer empresa, a tendência atual é de que a perspectiva de ascensão na carreira tenha mais peso na hora em que determinado profissional precise escolher entre duas ou mais companhias.  

E é nesse cenário, deveras promissor, que o programa de Remuneração Variável se transforma em uma ferramenta de credibilidade para conferir resultados à gestão, como também permite que os colaboradores tenham uma visão clara dos ganhos que poderão auferir conforme se empenhem mais e mais em prol das metas.  

Se você chegou à conclusão de que é hora de implantar um programa de remuneração variável na sua empresa, conheça agora a Plataforma de Gestão da Mereo e saiba como nós podemos contribuir para o alcance das suas metas.  

Gostou desse artigo? Compartilhe.