Saiba o que são competências técnicas e comportamentais 

Avatar photo Rebeca Rohr | 20 de julho de 2022

As competências técnicas são atributos que qualificam e capacitam o profissional para atuar em determinadas funções, enquanto as competências comportamentais estão mais relacionadas as características do profissional, como atitudes e emoções.  

Atributos importantes, as competências técnicas e comportamentais são muito utilizadas por recrutadores, lideranças e gestão de pessoas para identificar o perfil ideal de candidato para ocupar uma vaga na organização, dentre outras funções.  

Entretanto, é preciso compreender que nem toda pessoa irá apresentar todos os atributos, ela poderá se adequar a vaga com competências técnicas, mas não ter competências comportamentais ou vice-versa.  

Por isso, continue a leitura e entenda a diferença entre as competências.  

Neste conteúdo você encontra:

  • Competências técnicas e comportamentais 
  • Equilíbrio entre competências técnicas e comportamentais 
  • Competências técnicas e comportamentais no processo seletivo  
  • Como avaliar as competências  

Competências técnicas e comportamentais 

Você sabe a diferença entre competências técnicas e comportamentais? Se não, explicaremos melhor cada uma delas abaixo: 

Competências técnicas 

Competências técnicas são habilidades que o colaborador adquire através de treinamentos, cursos, palestras, experiências, entre outros. Aperfeiçoar ou desenvolver novas competências ajuda os colaboradores a alcançarem maior produtividade, melhor desempenho e atingir outros patamares na empresa. 

Ou seja, são atributos relacionados ao conhecimento em suas experiências profissionais ou acadêmicas. Um piloto de avião, por exemplo, não vai saber pilotar um avião se não possuir técnicas especificas para tal. 

Ao avaliarmos uma competência técnica, temos que considerar alguns fatores.  Veja só: 

  • Quanto tempo para obter certas habilidades;  
  • Os custos para ter tal habilidade; 
  • Qual a disponibilidade do profissional no mercado; 
  • A importância da habilidade para o desenvolvimento de determinada função; 
  • A possibilidade de desenvolvimento futuro. 

Sendo assim, as competências técnicas podem ser compreendidas por aquilo que o colaborador precisa para executar as atividades do cargo exercido.  

Competências comportamentais 

Diferente das competências técnicas, as comportamentais estão relacionadas as características individuais, ou seja, habilidades mais focadas no modo como o colaborador se comporta no dia a dia do trabalho.  

Algumas habilidades muitas vezes esperadas estão relacionadas as situações vividas na empresa, relacionamento com os colegas e lideranças. De nada adianta ter técnica, se não possui comportamento compatível a cultura da empresa.  

Um lojista, por exemplo, pode até dominar técnicas de negociação, mas se não tiver um comportamento proativo ou comunicativo, poderá perder ótimas oportunidades de venda.  

As competências são atributos complementares uma da outra. Enquanto as técnicas determinam a capacidade que a pessoa tem para realizar determinadas funções, as comportamentais desenvolvem condições para aperfeiçoar as habilidades existentes.   


Equilíbrio entre competências técnicas e comportamentais 

Agora que já sabe o que é cada uma das competências, é preciso entender como usar e equilibrar ambas.  

Primeiro é preciso entender que a forma mais correta e com maiores chances de encontrar alguém ideal para ocupar um cargo é combinar e equilibrar as competências na medida certa. 

Ao pensarmos em uma medida perfeita de competências técnicas e comportamentais, estamos falando de níveis de exigências diferentes, com grau de habilidades distintas. Uma vaga para secretaria, pode exigir uma maior tolerância ao estresse e um domínio básico ou intermediário do Excel.  

Assim, quanto mais equilibrada estiverem às duas competências, maiores são as chances, o RH encontrar o profissional ideal.  

Para isso, é preciso ajustar e identificar os requisitos técnicos e pessoais para cada cargo, além dos atributos que serão considerados como diferencial.  

Em um processo de divulgação de vagas é utilizado um conjunto de requisitos como critérios de eliminação, já os diferenciais são vistos como critérios de seleção entre os mesmos candidatos que preencheram os requisitos.  

Quando buscamos uma vaga de atendente, por exemplo, identificamos:  

  • competências comportamentais: proatividade, comunicativa, atenciosa, dedicada, liderança, boa dicção capacidade de resolver problemas de forma ágil, etc.  
  • competências técnicas: capacidade de negociação e convencimento, conhecimentos de informática, curso de atendimento, noções gerenciamento, identificar oportunidades de crescimento etc. 

Essas qualificações poderão ser avaliadas nas etapas futuras do recrutamento, onde passaram pela prova de conhecimento, teste de personalidade e outras metodologias.  

Mas é valido lembrar que as competências técnicas e comportamentais são complementares para identificar o profissional ideal, já que o foco maior é encontrar candidato que possui personalidade e conhecimentos para desempenhar a função.  

É importante que o departamento de Recursos Humanos tenha um diálogo com os responsáveis dos demais setores para compreender a necessidade de trabalho, e assim, conseguir buscar um profissional na medida perfeita. 

Sendo assim, é preciso realizar um planejamento com informações consistentes sobre as definições dos requisitos e atributos da vaga, com os desafios do cargo, nível de cobrança, atividades a serem desempenhadas etc. 

Competências técnicas e comportamentais no processo seletivo  

Utilizar as competências técnicas e comportamentais no processo seletivo traz enormes benefícios a organização. Contratar um profissional ideal já irá garantir uma maior adaptabilidade e melhores indicadores de desempenho das atividades, além de reduzir a taxa de rotatividade, que traz impactos significativos.  

O processo seletivo é feito exatamente para filtrar os profissionais que de adéquam ao cargo pretendido e a organização como um todo. Por exemplo, em organizações com a cultura organizacional mais rígida, deve buscar profissionais que saibam lidar com a subordinação, e assim vice-versa.  

Como avaliar as competências  

Como vimos no decorrer do texto, cada cargo exige diferentes níveis de habilidades e características. Assim, é preciso realizar um bom planejamento e avaliação das competências para definir ao certo quais atributos serão mais cobrados e qual o nível de relevância.  

Em diferentes tipos de vagas, as competências serão classificadas de acordo com sua importância, por exemplo: 

De 1 a 10, para ocupar o cargo de gerência a pessoa precisa ter uma nota de 8 a 10 para liderança, em contrapartida, para informática é preciso entre 5 e 7 e ser extrovertido de 3 a 5, etc. 

Durante o processo de avaliação, é preciso separar as exigências mínimas dos diferenciais, além dos atributos que poderão ser desenvolvidos após a contratação. Com essa relação de informações, terá em mãos um mapa da vaga que será ocupada, e poderá moldar para as próximas contratações.  

Algumas técnicas podem ser utilizadas para identificar as competências técnicas e comportamentais durante um processo seletivo, como:  

  • entrevistas de emprego: conversa com os candidatos de forma individual ou coletiva para conhecê-los melhor e extrair informações relevantes para vaga; 
  • técnicas vivenciais: dinâmicas e atividades visando testar o candidato, colocando-o em situações de desafio, problemas, para ver como será sua desenvoltura em solucionar. 
  • provas de conhecimento: testes sobre temas específicos, relacionados às funções do cargo; 
  • testes de personalidade: provas para extrair informações sobre o perfil do profissional. 

Essa sugestão de passo a passo pode ser alterada conforme necessidade e característica da empresa, mas é importante reiterar que no processo de avaliação, as competências técnicas e comportamentais são complementares. 

Conclusão  

Alguns impactos negativos na empresa podem ser derivados de falhas nas competências. O profissional, por exemplo, poder se tecnicamente adequado ao cargo, mas não possui relacionamento adequando com a equipe.  

Isso acaba gerando um desgaste, desmotivação e até problemas maiores como o turnover.  

Agora que você já sabe a importância de alinhar as competências técnicas e comportamentais, que tal fazer a avaliação de competências técnicas e comportamentais?  

Comece agora a incentivar o desenvolvimento dos seus colaboradores!  

Encontre soluções inteligentes para sua empresa acessando a Plataforma Mereo e leia agora o nosso ebook sobre como avaliar as competências do seu time! 

Artigos relacionados

Faça parte da nossa comunidade e receba conteúdos valiosos no seu e-mail.

     

    Solicite agora uma demonstração.

    Preencha os campos ao lado para agendar uma demonstração da nossa plataforma.