o_que_e_balanced_scorecard

22 de outubro de 2020

Balanced Scorecard (BSC): O que é, 4 perspectivas e o mapa estratégico

BSC ou Balanced Scorecard, em tradução livre, significa indicadores balanceados. Entretanto, seu conceito pode ser melhor definido como uma ferramenta que mensura o desempenho e o progresso da empresa. Deste modo, foram estabelecidos na Gestão Estratégica, a partir das metas de longo prazo.

Portanto, o Balanced Scorecard é importante por manter altos padrões de controle e acompanhamento dos indicadores de desempenho. Sendo então a linha divisória entre uma gestão de pessoas madura e outra que falha em alcançar resultados. Já que propõe melhorias e Otimização de Processos.

Empresas que utilizam o Balanced Scorecard conseguem conectar os seus objetivos de longo prazo com os resultados e projetos do momento. Enfim, saiba ao longo deste artigo o que é BSC, entenda as suas quatro perspectivas e como fazer o mapa estratégico!

O que é Balanced Scorecard

O Balanced Scorecard pode ser definido como uma metodologia de gestão. Visto que auxilia na mensuração do progresso dos colaboradores e da empresa, em relação às metas organizacionais de longo prazo.

Esta estratégia é realizada a partir de objetivos, metas, indicadores (KPIs) e iniciativas estratégicas. Inclusive, é muito comum as organizações estabelecerem metas e indicadores vinculados à projetos. Afinal, é por meio dos projetos que uma empresa é capaz de desenvolver sua estratégia.

Contudo, o BSC, desenvolvido por Kaplan e Norton (1997), surge, então, como uma ferramenta poderosa para Gestão Empresarial, alinhando quatro perspectivas: financeira, do cliente, dos processos internos e de crescimento e aprendizado.

Logo, a relação entre essas quatro áreas busca dar coerência ao processo de definição de metas, atribuição de funções aos colaboradores e definição de planos de ação.

As 4 perspectivas do Balanced Scorecard

De antemão, as 4 perspectivas do Balanced Scorecard surgiram para ampliar e agrupar os indicadores adotados pelas empresas. E, integrá-las permite estruturar logicamente as estratégias da organização e operacionalizar as ações que efetivamente geram resultados. Confira então cada uma delas agora:

Perspectiva Financeira

Por meio dessa perspectiva, os gestores conseguem demonstrar se a execução das estratégias está contribuindo para a melhoria dos principais resultados financeiros. Como:

  • Lucro líquido,
  • Retorno sobre o investimento,
  • Criação de valor econômico,
  • Geração de caixa.

A maior parte das empresas utiliza o aumento da receita e produtividade como norte. Sob esta perspectiva, também podemos citar como exemplo de objetivos estratégicos financeiros:

  • Aumento do faturamento bruto,
  • Retorno sobre o capital empregado,
  • Geração de fluxo de caixa,
  • Redução do custo de produção.

É importante ressaltar que todas elas devem ter um prazo para serem cumpridas.

Perspectiva de Processos Internos

Nessa perspectiva, os gestores conseguem identificar os processos internos críticos. Nos quais a empresa deve atuar com mais vigor para alcançar a excelente performance nos processos, ações e decisões internas.

De modo que consiga oferecer proposta de valor capaz de atrair e reter clientes. Além de satisfazer as expectativas de lucro dos acionistas.

Os objetivos estratégicos sob a perspectiva dos processos internos estão relacionados à obtenção de vantagem competitiva direcionados para a redução e gestão de custos ou para a diferenciação de produtos. Exemplos:

  • Qualidade dos produtos,
  • Redução de custos de produção,
  • Redução do tempo de entrega.

Perspectiva de Clientes

Essa perspectiva permite aos gestores o alinhamento de suas medidas essenciais de resultado. Logo, proporciona aos clientes maior satisfação, conquista de novos e retenção dos mesmos, lucratividade e participação de mercado. Isto acontece por meio de:

  • Pesquisas,
  • Engajamento,
  • Customer Success/Experience.

Perspectiva de Aprendizado e Crescimento

Essa perspectiva desenvolve objetivos e medidas para orientar o aprendizado e o crescimento organizacional. Dessa forma, o Capital Humano é de grande relevância nos objetivos estratégicos, sob a perspectiva de aprendizagem e crescimento. Então, é possível alcançar um processo contínuo de aprendizagem e aperfeiçoamento organizacional.

Existe uma relação de causa e efeito entre os objetivos das perspectivas citadas, permitindo que os gestores estabeleçam um mapa estratégico para a organização. Por isto, cada perspectiva deve ter um conjunto de indicadores próprios, dos quais viabilizam o cumprimento da estratégia e da visão da organização.

Deste modo, é possível melhorar o controle e acompanhamento de metas e indicadores, medindo precisamente seu desempenho e obtendo informações relevantes para a tomada de decisão.

Mapa Estratégico do Balanced Scorecard

O mapa estratégico auxilia o BSC na rotina de execução dos processos de curto prazo, mas mantendo o foco na visão de longo prazo. Então, para garantir que toda a estratégia do seu Planejamento Estratégico seja seguida, é necessário utilizar o mapa que responde às perguntas essenciais para cada perspectiva.

A partir destas respostas é possível estabelecer as metas, tempo de execução e as métricas de desempenho. Enfim, saiba agora os 4 componentes estratégicos do BSC:

  • Objetivos: estabelece o que a empresa deseja alcançar em cada perspectiva estratégica no futuro;
  • Metas: quantifica e mostra o nível de performance em cada indicador, de acordo com o objetivo proposto;
  • Indicadores: mostra o desempenho relacionado com cada objetivo escolhido, mensurando as metas;
  • Iniciativas ou projetos: ações que colocam a empresa em movimento para atingir as metas e objetivos.

Em suma, o Balanced Scorecard detalha cada parte do processo até alcançar o nível mais operacional da estratégia. Assim, é possível ter uma visão mais clara e objetiva para alcançar os resultados esperados. Portanto, confira agora na prática como colocar as informações no mapa estratégico:

balanced_scorecard

Gestão estratégica sob a ótica do BSC

Uma gestão estratégica é aquela que integra a comunicação e os processos internos das empresas. O que permite aos executivos e gestores uma tomada de decisão assertiva, baseada em dados e indicadores bem definidos. Por isto, realizar uma Gestão de Metas e indicadores de forma estruturada torna-se, então, essencial para que esse processo ocorra.

Muitas empresas têm uma gestão de indicadores de desempenho. Entretanto, é bem comum encontrar este processo realizado de forma departamental, por equipes ou de forma individualizada. Além de ter ou não a presença de ferramentas para manipulação de dados e Controle de Metas.

Na ótica Balanced Scorecard, existem dificuldades enfrentadas pelas médias e grandes empresas ao estabelecer e gerenciar indicadores de desempenho. Como as falhas na definição e priorização de atividades, que comprometem fortemente os resultados da organização. Incluindo a sustentabilidade de ações no médio e longo prazo, o que se torna uma grande bola de neve se replicado constantemente.

As dificuldades para implantar uma Gestão de Pessoas baseada no Balanced Scorecard

A empresas têm ampliado seus esforços para melhorar análises de desempenho e processos de avaliação. Ainda assim, as empresas têm dificuldade em integrar todas as perspectivas do BSC no gerenciamento de indicadores.

Embora algumas empresas estejam tentando modificar os seus sistemas de medição de desempenho e acompanhamento de métricas, além da perspectiva financeira, muitas ainda têm essa dificuldade.

Dentre os principais , podemos citar problemas estruturais para definir estes indicadores e criar um benchmarking de qualidade para o setor ou atividade. Bem como a falta de ferramentas completas de acompanhamento e gestão de indicadores. Posteriormente, o resultado disso são gerências com uma informação limitada ou pouco relevante para a tomada de decisão, que geram valor para a organização.

Conclusão

Enfim, como deu para perceber ao longo deste artigo, utilizar o BSC traz diversos benefícios para a empresa. Já que você consegue ter uma visão mais clara sobre seus objetivos e estratégias. Inclusive, estabelece as iniciativas que serão executadas e mensuradas com maior praticidade.

Contudo, é necessário não só entender sobre suas perspectivas e componentes, mas também as suas dificuldades de implementação dentro do setor de Gestão de Pessoas. Afinal, o BSC é responsável por sustentar a aplicação de todas as estratégias.

Em conclusão, o Balanced Scorecard pode te dar suporte na tomada de decisões da sua empresa e direcionar a visão da sua organização. E para te ajudar na criação das suas metas mais claras e específicas, recomendamos nossa planilha gratuita sobre Metas SMART. Baixe agora!

Gostou desse artigo? Compartilhe.