Absenteísmo: o que é e como calcular nas empresas

Karine Moreira | 21 de janeiro de 2022

Absenteísmo é a falta ou atraso do colaborador durante expediente de trabalho. É utilizada como indicador na área de RH para medir a ausência, do qual pode ser por algumas horas ou até por alguns dias.

absenteismo

Também é considerado sinônimo de absenteísmo as saídas adiantadas em excesso de fim de expediente. E, quando as empresas não dão a atenção necessária a isso, o nível de engajamento e produtividade podem diminuir.

Além disso, o absenteísmo pode prejudicar os outros membros da equipe, já que ficam mais sobrecarregados e, consequentemente, mais insatisfeitos. Com isso, tende a gerar uma onda de demissões e novos processos seletivos.

No entanto, quando a organização tem conhecimento e controle da situação, pode conseguir evitar possíveis problemas. E foi pensando nisso que elaboramos este artigo. Continue lendo para saber tudo sobre o que significa absenteísmo e como calcular esse índice na sua empresa!

O que é absenteísmo

Absenteísmo, ou também conhecido como absentismo, significa se ausentar de algo. No contexto do ambiente de trabalho, é considerado as faltas, atrasos ou saídas com frequência excessiva de colaboradores.

E, a taxa de absenteísmo é um indicador que mede o período de tempo em que as pessoas têm se ausentado do trabalho, desconsiderando os motivos. Esse indicador é muito importante para a empresa, já que ajuda a visualizar os problemas estruturais.

É válido ressaltar que as férias e atestados não é absenteísmo e não entram no cálculo do índice de ausências. Isso se deve por serem faltas justificáveis e fazem parte dos direitos dos funcionários.

Além disto, ter algumas faltas e atrasos é normal e não necessariamente pode prejudicar o andamento das tarefas ou da produtividade da organização. Contudo, é fundamental ficar atento a esse índice para manter o controle para essa taxa não ser muito elevada.

Afinal, o valor do índice de absenteísmo sinaliza problemas que podem estar acontecendo dentro do ambiente interno. Um exemplo disso podem ser relacionados à cultura organizacional.

Porque o absenteísmo é algo prejudicial para a empresa

Existem alguns impactos e consequências do absenteísmo para as empresas. Confira só os principais motivos desse índice ser tão prejudicial para o seu negócio:

  • Alguns colaboradores ficam sobrecarregados;
  • As tarefas ficam acumuladas e uma queda na produção;
  • Pode gerar ruídos na comunicação entre as equipes e também um ambiente hostil;
  • Os processos demoram mais para serem concluídos;
  • A cultura e os valores organizacionais são questionados;
  • Os outros colaboradores se sentem desconfortáveis;
  • Aumento do impacto nas finanças da empresa.

Portanto, para evitar tais consequências é preciso tomar algumas medidas para ajudar a controlar a taxa de absenteísmo. Como: promover a cultura da empresa e o fit cultural para fortalecer a imagem da marca empregadora.

Exemplos de absenteísmo no trabalho

1. Problemas pessoais de saúde

Ocasionalmente, é normal que os colaboradores precisem faltar no trabalho por um período de tempo para realizar exames de rotina, por alguma doença ou fazer algum tipo de acompanhamento médico.

Mas é importante ficar atento se esses problemas são regulares e também se são causados pela própria empresa. Por isso, o profissional de RH deve observar se existem queixas semelhantes entre os colaboradores.

Até porque essas questões podem indicar que seja uma adversidade no ambiente interno ou estar relacionados à função exercida, e que deverá ser solucionado pela organização.

2. Cultura ultrapassada

Como já mencionamos, a cultura organizacional tem relação com o absenteísmo. Pois, ajuda a guiar comportamentos e valores no cotidiano dos colaboradores.

Nesse sentido, se a cultura estiver ultrapassada, pode gerar desalinhamento, a falta de integração, níveis baixos de engajamento e outros problemas internos.

3. Estresse e burnout

O alto nível de estresse pode gerar muitos problemas de saúde, sendo um dos principais motivos da diminuição da imunidade. Além disso, tende a prejudicar a memória, a concentração e aparecer outros tipos de doença também.

Quando o ambiente de trabalho é muito estressante, tem cobrança excessiva para entregar demandas com prazos curtos, pode colaborar para o estresse e também para o burnout.

Por isso, invista em Employee Experience e promova um bom ambiente interno para evitar que aconteça problemas de saúde que aumentariam a taxa de absenteísmo na sua empresa.

Como calcular o absenteísmo

Você entende por que medir o absenteísmo? Ficar atento ao nível de ausência é importante para entender se sua empresa está sofrendo desse mal e, assim, conseguir sair dessa situação.

Para isso, é preciso adotar alguns indicadores para medir e controlar o absenteísmo. O cálculo é feito entre o total de faltas e atrasos com a quantidade de dias ou horas trabalhadas por cada colaborador na empresa.

O formato de medida mais utilizado para calcular são pelas horas ou minutos. Dessa forma, se inclui também os atrasos e saídas antecipadas do expediente.

Veja agora como funciona o cálculo na prática:

(total de colaboradores x total de faltas e atrasos) ÷ (total de colaboradores x total de dias trabalhados) = resultado.

Exemplo 1:

Colaboradores: 100

Jornada: 8 horas diárias/ 20 dias por mês

Faltas: 1 por colaborador (em média)

Nesse exemplo iremos manter a unidade de medida por dias, já que não estamos contabilizando atrasos ou saídas antecipadas.

(100 x 1) ÷ (50 x 20) = 100 ÷ 1000 = 0,1 ou 10% de absenteísmo

Exemplo 2:

Colaboradores: 200

Jornada: 8 horas diárias / 22 dias por mês

Faltas: 2 por colaborador (em média)

Atrasos: 30 minutos por colaborador (em média)

Porém, antes de iniciarmos a conta, precisamos deixar todos os valores na mesma unidade de medida para não haver erros no cálculo. Deixaremos todos os valores em horas.

  • 30 minutos de atraso: 30 ÷ 60= 0,5 horas
  • 22 dias úteis: 22 x 24= 528 horas
  • 2 faltas: 2 x 24= 48 horas

O cálculo para esses dados então será:

Total de faltas e atrasos: 0,5 + 48 = 52,8

(200 x 52,8) ÷ (200 x 480) = 10.560 ÷ 96.000 = 0,11 ou 11% de absenteísmo

Para esse cálculo a quantidade de faltas eram equivalentes ao total de colaborador, ou seja, 2 faltas por colaborador.

É válido ressaltar que, não existe uma regra única e um consenso geral sobre o número ideal da taxa de absenteísmo. O índice pode variar conforme o segmento e tamanho da empresa. Normalmente, o valor médio aceitável é entre 3 e 4%.

Quando o valor ultrapassa esse limite médio, é preciso ficar em alerta. E, para descobrir esse percentual, divide-se as horas perdidas pelas que deveriam ser cumpridas, multiplicando o resultado por 100.

Porém, não se iluda acreditando que essa porcentagem um dia será nula. Até porque no cálculo também inclui as faltas justificadas. Ou seja, é quase impossível afirmar que essa taxa chegará a zero.

Em conclusão, esperamos que este conteúdo tenha te ajudado a entender melhor os conceitos de absenteísmo, a importância de ficar atento e acompanhar suas métricas e como promover melhorias na sua organização.

E, para te ajudar a elevar o engajamento e retenção de talentos, baixe agora nosso e-book exclusivo sobre esse tema, basta preencher o formulário abaixo!

Posts relacionados

Quer receber nossos conteúdos diretamente no seu e-mail?

Assine a nossa newsletter para receber os melhores conteúdos. Faça parte da nossa comunidade!