treinamento_e_desenvolvimento

15 de janeiro de 2021

Treinamento e Desenvolvimento: o que é e como fazer na prática

O Treinamento e Desenvolvimento nas empresas não só qualifica a equipe, como pode ser também uma excelente ferramenta para motivação, engajamento e retenção de talentos.

Qualificar e preparar as pessoas para os desafios internos é uma vantagem dentro de um mercado tão competitivo. E, uma das formas mais eficientes de se alcançar o alto desempenho é por treinamentos.

Entretanto, quando são mal planejados e executados por pessoas pouco qualificadas, podem não obter resultados e acarretar em um custo altíssimo. Por isto, confira neste post tudo sobre treinamento e desenvolvimento de pessoas nas organizações!

O que é Treinamento e Desenvolvimento

O conceito de treinamento e desenvolvimento são bem semelhantes e, também complementares, já que ambas são um conjunto de práticas e ações planejadas que capacitam seus colaboradores no curto e longo prazo.

Estes tipos de treinamento e desenvolvimento da gestão de talentos acontecem pelo fato de que mesmo com os estudos acadêmicos, ainda é necessário preparar os funcionários para o mercado.

Isto acontece porque cada empresa possui uma necessidade específica. Além do mais, estes treinamentos contribuem para gerar resultados cada vez mais positivos, alinhados com os objetivos e a cultura da organização.

Contudo, o desenvolvimento dos profissionais deve ser contínuo. Assim, é possível também crescer dentro da empresa por meio de promoções ou mudanças de cargos.

A diferença entre Treinamento e Desenvolvimento

Treinamento

O Treinamento é considerado uma prática de curto prazo, já que tem como objetivo qualificar o funcionário para suas tarefas e atividades no cargo/função ocupada. É considerado também como uma iniciativa corporativa que auxilia no aprimoramento das competências, habilidades e atitudes dos colaboradores.

E, por ter um prazo de tempo menor, os resultados são rápidos. Entretanto, deve conter um planejamento bem estruturado para favorecer também os interesses da empresa.

Afinal, os treinamentos acontecem de acordo com uma necessidade particular ou por serem obrigatórios por lei para ocupar determinado cargo e função.

Desenvolvimento

No Desenvolvimento, o processo é de longo prazo, pois os conjuntos de práticas focam em desenvolver novas competências, além de melhorar e impulsionar o desempenho dos profissionais.

Por ter a intenção de elevar a carreira, o Desenvolvimento vai além do cargo ou função atual que a pessoa ocupa, planejando todo o futuro do colaborador dentro da organização de acordo com as oportunidades e demandas que surgirem.

Ou seja, trabalha as competências chave, dando ênfase nas necessidades mais estratégicas do negócio e também tem foco em aumentar a competitividade e produtividade no negócio.

6 tipos de Treinamento e Desenvolvimento nas empresas

Os treinamentos se tornaram muito populares a partir da Revolução Industrial, do qual as empresas ensinavam seus operários a manusear as máquinas para a produção em massa.

Neste cenário era mais prático ensinar e qualificar os funcionários do que encontrar mão de obra altamente qualificada. Hoje em dia, o treinamento e desenvolvimento se tornou uma estratégia organizacional.

Conheça agora os 6 tipos de treinamento nas empresas:

1.   Comportamental (soft skill)

O treinamento comportamental acontece para aperfeiçoar as soft skills dos colaboradores. Além disto, foca também nas atitudes e habilidades que devem ser aprimoradas de acordo com os valores da organização.

Este tipo de treinamento é importante principalmente para que não ocorra problemas como absenteísmo, conflitos internos ou má comunicação. Estes tipos de problema impactam no ambiente e clima organizacional.

Alguns exemplos de treinamentos comportamentais: como falar bem em público, administração e gestão do tempo, motivação pessoal e profissional, inteligência emocional, criatividade e inovação, gestão de crise, entre outros.

2.   Motivacional

O motivacional é um tipo de treinamento que une práticas e técnicas para elevar o engajamento e a motivação dos colaboradores dentro da empresa. Isto vai além do financeiro, mas sim outros tipos de reconhecimento.

Alguns exemplos mais comuns de treinamento motivacional são: feedbacks, confraternizações, palestras, dinâmicas, entre outros. A falta disto pode acarretar em problemas não só de produtividade, mas na alta rotatividade também.

3.   Técnico (hard skill)

Neste tipo mais técnico é focado em desenvolver as hard skills. Ou seja, as competências técnicas para que todas as tarefas diárias sejam feitas com maior qualidade.

Alguns exemplos deste tipo de treinamentos aqui são por cursos profissionalizantes, oficinas, workshops, bootcamps ou outros tipos de educação mais formal ou informal. Até mesmo aprender uma nova ferramenta pode ser considerado uma hard skill.

4.   Desenvolvimento de liderança

Para desenvolver um bom líder é necessário um conjunto de ações envolvendo, principalmente, as soft skills. Isto acontece por ser essencial ter habilidades de se relacionar com os outros, uma boa capacidade de ouvir e de se comunicar.

Hoje em dia tem sido muito comum as próprias empresas capacitar e desenvolver novos gestores para serem líderes. Desta forma, a empresa consegue alcançar os resultados mais esperados e ter pessoas qualificadas com os valores internos.

5.   Onboarding

O Onboarding é um tipo de treinamento que prepara o novo funcionário para iniciar sua jornada dentro da empresa. Aqui é passado os valores, a missão e a visão da organização, além de todas as regras internas e as condições necessárias para exercer a função.

6.   Treinamento corporativo

A partir da avaliação de desempenho e do desenvolvimento de PDI’s é feito o treinamento corporativo. Nele é desenvolvido habilidades específicas de um colaborador e seu maior objetivo é melhorar a execução das atividades.

Após identificar o que é necessário para ser aprimorado, é investido em um tipo de treinamento específico para a necessidade do funcionário.

Os maiores problemas do Treinamento e Desenvolvimento nas empresas

De acordo com uma pesquisa sobre treinamentos no Brasil intitulada “O panorama do treinamento no Brasil”, divulgada pela Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento (ABTD) ,em parceria com diversas empresas de renome, temos atualmente dois grandes problemas na Educação Corporativa brasileira:

  1. Investe-se pouco em treinamento;
  2. O Investimento tem baixo retorno.

Em relação ao item 1: apesar da melhora nos últimos anos, fica evidente a distância que estamos de países desenvolvidos como os Estados Unidos. Enquanto eles investem USD 1.229,00 por colaborador, o Brasil investe apenas BRL 624,00.

Em todos os outros índices de investimento, seja Treinamento por Faturamento ou por colaborador, entre outros, os EUA investem de 2.8 a 3 vezes o que o Brasil investe. E isto é um problema, já que influencia a ter baixo retorno sobre estes investimentos.

Entretanto, a situação tem sido vista cada vez melhor. Empresas multinacionais e brasileiras, principalmente do setor de varejo e consumo, veem os treinamentos como uma das formas mais eficientes de se alcançar alto desempenho.

Apesar do investimento ser baixo é fundamental pontuar que devem ser bem planejados e executado por pessoas qualificadas, para não ser uma perda de tempo e dinheiro. Quando mal executado, podem acarretar um custo altíssimo às organizações.

Imagine o custo de todas as pessoas paradas por horas em uma sala de aula e todo o custo logística e de infraestrutura para realização do evento. Além desses custos tangíveis, temos também os intangíveis, como custo do retrabalho ou da baixa qualidade da execução de atividades devido à falta de capacitação das pessoas.

Mas como nós brasileiros envolvidos com educação corporativa podemos ter um melhor retorno sobre o investimento? Como podemos capacitar de maneira mais assertiva nossos operadores, gestores, líderes e executivos?

Veja abaixo dicas poderosas para se tirar o máximo retorno dos treinamentos nas empresas!

6 passos para colocar em prática seu planejamento de Treinamento e Desenvolvimento

Muitas organizações optam por trabalhar o treinamento e o desenvolvimento juntos, já que auxilia o colaborador desde a sua chegada até seu processo contínuo de potencializar as suas competências.

E para tornar estes processos assertivos, é importante estudar e definir os seus objetivos, para depois executá-los. Veja só:

·        Conheça bem seus colaboradores

Faça um diagnóstico para saber as necessidades e dificuldades internas. Para isso faça o mapeamento das competências para descobrir os gaps. Desta forma, o direcionamento do conteúdo do treinamento será mais assertivo e atraente.

·        Estude as necessidades da empresa

Nesta fase é essencial ouvir os colaboradores e gestores, desta maneira é possível traçar as necessidades e lacunas profissionais das pessoas e da instituição e a partir disso propor um treinamento mais estruturado e que consequentemente trará mais resultados.

O Levantamento de Necessidades de Treinamento (LTN) é um processo de diagnóstico capaz de identificar dificuldades, lacunas e oportunidades de crescimento do time e é uma ferramenta valiosa nesta etapa. Nela é possível identificar brechas e construir planos para melhoria de performance dos colaboradores.

·        Defina os objetivos

Ao desenvolver o seu planejamento estabeleça as metas que você deseja alcançar. Elas devem partir das falhas e das necessidades do grupo que irá receber o treinamento ou da empresa aonde está inserida.

Trace objetivos que possam ser alcançados, mais que também representem desafios cada vez maiores, assim os colaboradores buscam se superar e melhorar de forma contínua.

·        Coloque o plano em prática

Os treinamentos podem ser realizados de diversas formas, seja por meio de ferramentas, vídeos conferências, apostilas, entre outros.

No entanto, os treinamentos práticos ainda são os que apresentam maior eficiência, pois permitem visualizar in loco os pontos frágeis da equipe e as maneiras de corrigi-los.

·        Dê continuidade prática ao treinamento

Todo aprendizado é melhor assimilado com a utilização prática do conhecimento. É imprescindível, após o treinamento teórico, lançar mão de dinâmicas ou até a aplicação prática no dia a dia das pessoas, para que o conhecimento seja sedimentado.

·        Avalie os resultados

Depois de finalizado é importante analisar os resultados alcançados no treinamento. Aqui é importante retomar aos objetivos que você definiu como meta e mensurar se eles foram atingidos.

Existem muitas maneiras de avaliar se houve ganhos e, caso sim, quais foram. Algumas delas é aplicar avaliações de conteúdo, nas quais é possível verificar se ele foi bem absorvido pelos profissionais ou comparar os indicadores da empresa antes e depois do treinamento ou ainda pedir feedbacks aos participantes.

Conclusão

Enfim, como já dissemos, o treinamento e o desenvolvimento promovem crescimento pessoal e profissional, mas obviamente não é em uma capacitação que o funcionário aprenderá tudo. O desenvolvimento é gradual é requer muitas experiências para que seja efetivo.

Então, para garantir que as conquistas sejam duradouras e os resultados cada vez mais assertivos, é fundamental que a organização crie o hábito de promover treinamentos, deixando de encará-los como atividades pontuais, e sim como um poderoso e necessário investimento em capital humano.

Contudo, essas dicas podem te ajudar a alcançar um excelente retorno sobre o investimento em treinamentos nas empresas, como também garantir que os profissionais realmente sejam capacitados e convertam conhecimento em resultados mensuráveis e tangíveis.

Em conclusão, gostaríamos de te recomendar nosso e-book gratuito sobre as 10 competências do futuro mais avaliadas pelas empresas. Esperamos que você consiga aplicar este material nos treinamentos da sua empresa!

Gostou desse artigo? Compartilhe.